18/02/2014

Desapegando: Feedly

Foto: Melina Souza
Uma das minhas 14 coisas para ser em 2014 é mais minimalista e tenho procurado aspectos e áreas da minha vida nas quais posso cortar excessos e simplificar. Dia desses, fui organizar meu Feedly e encontrei uma boa oportunidade.

Já lhes expliquei como eu uso o Feedly, em conjunto com o Pocket, nesse post. Basicamente, acesso o aplicativo pelo celular ou tablet e passo pelos posts salvando aquilo que pretendo ler no Pocket. Dificilmente leio algo pelo aplicativo e raramente acesso o site. Sempre uso a lista "all", que reúne todos os links não lidos. Ou seja: nunca navego pelas categorias.

Já uso o Feedly há alguns meses e esse método tem funcionado muito bem. Entretanto, desde que transferi minhas leituras para o site, o organizei apenas uma vez, criando diversas categorias. Desde então, assinei muitos outros feeds, muitos dos quais não se encaixavam em categoria alguma. Anotei na minha lista de tarefas "organizar os feeds", mas sempre que pensava no trabalhão que daria, desistia. Foi aí que tive a ideia de simplificar.

Muitas vezes, na ânsia de se organizar, partimos para a opção mais óbvia e com mais cara de organizada. Nesse caso, era a categorização dos sites que eu seguia. Nada mais organizado, certo? Errado. Embora categorizar, setorizar e classificar sejam ações comuns à organização, nem sempre são sinônimos dela. Organizar é encontrar soluções práticas e adequadas à nossa vida. Refletindo sobre meu método, percebi que, para mim, nesse caso, a solução mais organizada não era categorizar. Como eu sempre navego por todos os feeds que acompanho de uma só vez, as categorias eram supérfluas. Além do mais, estavam me impedindo de colocar a mão na massa, pois eu sabia que seria complicado classificar os sites que sigo.

Me desapeguei das categorias e simplifiquei meu processo de organização que, agora, consiste basicamente em, de tempos em tempos, analisar os feeds que assino e decidir, um por um, se continuo os assinando ou não. Daí vem o outro desapego.

Eu seguia 166 feeds, entre blogs, revistas virtuais e tumblrs. Parei de seguir 36: alguns não existem mais, outros não atualizam há meses, outros simplesmente não me interessam mais. Não fazia sentido continuar acompanhando-os e desapegar não foi um problema.
Como gosto muito do assunto (minimalismo-desapego-simplicidade), achei que não faria mal compartilhar minhas experiências com mais detalhes e criei uma nova tag: desapegando. Espero que vocês gostem.