25/05/2011

Uma blogueira sem acesso à internet

Pois é, gente. Como vocês devem ter lido por aí, eu estava sem internet. Não completamente, claro, já que há salas de informática na USP, internet sem fio no prédio do meu curso, a internet do namorado e a internet da casa de São Joaquim nos poucos finais de semana em que volto para lá. Ainda assim, sempre que eu tinha acesso, tinha um milhão de e-mails para ler, conteúdos da faculdade para baixar, trabalhos para fazer e itens não lidos no Google Reader. Isso explica um pouco do meu sumiço do blog.

No ano passado, eu usava o 3G da Claro. E deixo avisado: é um lixo. Dava um trabalhão para conectar e quando eu conseguia, a conexão vivia caindo, a velocidade real não chegava a 5% da nominal; e, ainda por cima, o atendimento da Claro não ajuda e eu pagava cerca de $100 por mês. Para vocês terem uma ideia, a internet do meu Tim (o celular) é mais rápida - e bem mais barata - do que o 3G da Claro. No final do ano passado, alguns de vocês devem ter acompanhado pelo Twitter todo o sofrimento para cancelar essa maldição.

Nesse ano, eu queria contratar o NET Combo, mesmo achando os preços muito abusivos (o pacote que me interessava custava cerca de $90 no ano passado, e cerca de $150 nesse ano). Mas não consegui. Com muita má vontade, a atendente informou ao meu pai que o meu prédio deveria ter um "poste" ou sei lá o quê para receber o sinal e distribuir para os apartamentos e que eu deveria contatar a NET de São Carlos para a instalação do tal poste. Acontece que aqui, em São Carlos, não há uma loja da NET ou algo assim, mas sim várias pessoas que trabalham para a empresa meio que por conta. Procurei vários telefones dessas pessoas e não tive sucesso. Desisti.

Daí, parti para o Speedy, mesmo sabendo que a Telefônica é uma recordista em reclamações. Comprei pelo telefone, sem problemas. No dia seguinte, um técnico apareceu no apartamento para instalar a minha linha. Fiquei impressionada com a eficiência e passei a esperar o modem, que viria pelo correio em até 30 dias. Passado metade do prazo, recebi uma carta pedindo mais 15 dias, devido a um problema na disponibilização do modem. Tudo bem, achei simpático me avisarem. Acontece que se passou o prazo, o prazo extra e nada.

Ao fim dos 45 dias, recebi uma conta de $30 pelo simples fato de ter sinal chegando no meu apartamento, mesmo eu não usando. Liguei para reclamar, mas não obtive sucesso, fui obrigada a pagar a conta. Mas nessa ligação, descobri que eu estava cadastrada na Telefônica como se eu já tivesse o modem e ainda não tivesse o instalado. Não faço idéia de onde tiraram essa informação! A mocinha do atendimento me prometeu alterar o cadastro para que eu pudesse receber o modem, e me retornaria a ligação em 72 horas.

Após cinco dias sem retorno, meu pai ligou na Ouvidoria. Lá foi informado de que meu cadastro havia sido de fato alterado, mas que não poderiam me enviar o modem porque não tinham nenhum disponível. Minha paciência se esgotou aí. A moça disse, então, que poderíamos cancelar o pedido e comprar e instalar um modem por conta. Ainda não entendo porque não deram essa opção antes!

Enfim, compramos um modem e eu trouxe para São Carlos. Configurei certinho, mas não consegui acessar a internet ainda assim! Não tinha sinal nenhum chegando aqui. Liguei novamente na Telefônica, e após algum tempo discutindo com a atendente de que o modem estava conectado corretamente, ela verificou que de fato não chegava sinal aqui e me enviou um técnico. Aliás, um não: dois! Eles são tão desorganizados que mandaram o pedido para a assistência técnica de São Carlos e de Araraquara. No final das contas, os dois técnicos levaram a tarde toda para descobrir que o meu sinal estava indo para outra casa e acertarem tudo. Finalmente, no dia 23 de maio, 55 dias após a contratação, eu pude acessar a internet!

Enfim, acho que todos nós temos esse tipo de problema com qualquer serviço, principalmente internet, telefone e televisão. De qualquer forma, agora tudo se resolveu, eu peguei o jeito de pressionar as atendentes (só assim consegui que os técnicos viessem tão rápido), e finalmente tenho internet no meu apartamento, para fazer as coisas da faculdade e tentar atualizar mais o blog.

Passei por aqui mais para dar essa satisfação a vocês e contar que, nesse domingo (dia 29), vou viajar com a minha turma para o Mato Grosso do Sul, em uma viagem didática do meu professor de Ecologia. Parece que vai ser bem bacana. Quando voltar, tento arranjar um tempinho para vir contar como foi.