07/03/2010

A primeira semana do resto da minha vida (ou dos próximos cinco anos)

Apesar do drama e do exagero, realmente está difícil criar tempo/paciência/inspiração/ânimo para vir postar aqui. Estou me adaptando às mudanças abruptas dos últimos tempos. São muitas novidades. Morar sozinha é um desafio gigantesco para quem sempre foi assistida pelos pais. A cidade nova (maior do que a minha cidade natal) parece assustadora ainda. São tantas pessoas diferentes, tantos acontecimentos em um único dia... A vida universitária parece o pior - e ao mesmo tempo o melhor - dos desafios. É tudo imensamente diferente. Assustador. Às vezes, me pergunto o que é que eu estou fazendo lá dentro. Mas tento me focar na ideia de que, se os caras da Fuvest me selecionaram, de nem-me-lembro-quantos concorrentes, é porque eu tenho alguma coisa que me faça merecer estar lá. Vai saber.

Apesar de ainda estar um tanto assustada e de, às vezes, pensar se não fosse melhor desistir de tudo, eu me lembro de que é hora de crescer. Me lembro de que, contrariando as expectativas mais óbvias, eu consegui estudar por conta própria e conquistar uma vaga na USP (acreditam que esse nome ainda mexe comigo?).

Essa primeira semana foi uma das mais intensas da minha vida (parece exagero, mas é sério). Foi até meio que "bipolar". Aconteceram um milhão de coisas. Um dia parece uma semana. De repente, minha vida é outra (e me vem a dúvida de quanto terei que mudar pra acompanhá-la, e de quão boas serão essas mudanças).

Enfim, não sei se consigo expressar a confusão de sentimentos e sensações que se passou em mim nesses últimos dias. As palavras não me parecem suficientes e não quero deixar esse post muito filosófico. Não mesmo. (Criei uma certa aversão à filosofia nessa semana e olha que mal comecei meu curso de engenharia.)