08/01/2010

O Resultado e o Hematoma

Para a felicidade geral da comunidade semformônica, eu não morri e voltei mais afiada do que nunca nas minhas expressões antiquadíssimas, figuras de linguagem absurdas, notinhas confusas entre parênteses, títulos bizarros, muitas vírgulas, neologismos, palavrões, superlativos, grosserias e semformolices em geral.

Gostaria de ter postado antes, mas teve almoção de família de dia 1º de janeiro aqui em casa e segunda fase da Fuvest logo no primeiro final de semana do ano. Voltei cansadíssima. Passei três dias em Ribeirão Preto, com aquele travesseiro esquisito do Ibis e aquela prova que dispensa comentários da Fuvest. Fiz as burrices de sempre, fiquei nervosa e acho que não passei, mas liguei o tal do foda-se e só vou lembrar que a tal prova existe quando sair o resultado. Até porque, no dia seguinte, saiu o resultado da primeira fase da UFTM e não é que, para minha surpresa, eu fiquei em 2º lugar?! Sério. Eu sei que é só metade do caminho, que ainda falta uma prova para acontecer, que a segunda fase vale mais e a prova é específica, mas também tenho ciência que é uma colocação muito boa e que minhas chances de ser aprovada são altas. Também acho que eu tenho o direito de ficar feliz, de comemorar, de sair correndo, gritando e pulando pela casa, de escorregar no tapete da sala, levar um tombaço e ficar com um hematoma lindíssimo no popozão. (Sim, isso aconteceu.)