10/05/2009

Jogo dos Sete Erros

O país não parou para ver a escolha da Miss Brasil ontem. Muita gente nem mesmo sabia que o evento seria ontem. Pudera, os concursos de misses são pouco valorizados por aqui. Se fossem, teríamos milhares de garotas por todo o país sonhando em ser miss e não modelo ou atriz ou cantora. Miss pra quê? Não há muita notoriedade. Se eu perguntar aqui, quase ninguém sabe o nome da última Miss Brasil, muito menos o estado de onde ela veio. Deve ser por isso que o Big Brother já teve tantas misses. Os quinze minutos de fama dos brothers duram um pouquinho mais. E se você for muito sortuda, pode até virar atriz sem ter talento algum pra isso.

Mas o que mais me chama a atenção no Miss Brasil é que todas as concorrentes são muito parecidas. Até parece que a população brasileira é toda branca de cabelo preto, liso e comprido. Pior: as últimas vencedoras são todas assim. Andei olhando as fotos das últimas misses e a mais diferente que eu encontrei foi uma espécie de Natália Guimarães loira. Agora, me diz: todo ano mandamos para o Miss Universo mulheres lindas, sim, mas parecidíssimas. Devem estar de saco cheio da gente e se perguntando por que mesmo dizem que o Brasil é o país da diversidade se todas nossas mulheres são iguais.

O Miss Brasil é um desfile de moças que obedecem a um mesmo padrão disputando uma faixa e uma coroa inúteis. Ele está longe de refletir a beleza da mulher brasileira que é branca de cabelo preto e liso, mas também mulata, negra, loira, ruiva, de cabelo enrolado e crespo.

Separadas na maternidade.

[comentários perdidos devido à mudança do Haloscan no final de 2009]